Benéficos da vitamina D na saúde

761

Voltar

Pessoas que não fazem uma caminhada de 10 ou 15 minutos, dia sim e dia não, quando o sol está alto (entre às 10.00 e 15.00 horas) muito provavelmente estarão com níveis deficiente de vitamina D.

Pessoas de pele obscura, idosos, com excesso de peso, em tratamento de doenças e aqueles com doenças crônicas tendem a ter níveis muito mais baixos de vitamina D.

Ter deficiência de vitamina D no organismo pode aumentar o risco de uma série de doenças crônicas, como osteoporose, doenças cardíacas, diabetes, alguns tipos de câncer, esclerose múltipla, doenças infecciosas, tuberculose e até a gripe.

Curiosamente a vitamina D não é uma vitamina e sim um hormônio ou um pré-hormônio. Quando descoberta em 1922 é que foi chamada de vitamina D. No entanto, as vitaminas não são sintetizadas no organismo e são conseguidas por meio da alimentação. Já a vitamina D, pelo contrário, é sintetizada pelo organismo humano a partir dos alimentos ingeridos, sendo por isso classificada na categoria “hormônios”. Assim, diferentemente de qualquer outra vitamina, a vitamina D é produzida na pele quando a pessoa é exposta a luz solar então o fígado converte a vitamina D dos alimentos ingeridos no hormônio calcidiol (25-hidroxi vitamina D).

A vitamina D ajuda a garantir que o corpo absorva e retenha cálcio e fósforo, ambos essenciais para fortalecer a estrutura óssea do esqueleto. Estudos mostram que a vitamina D pode reduzir o crescimento de células cancerosas e desempenha um papel crítico no controle de infecções. Muitos dos órgãos e tecidos do corpo têm receptores para a vitamina D, e os cientistas ainda estão pesquisando outras possíveis funções.


Efeitos da Vitamina D na saúde

Ossos e músculos

– Vários estudos mostram que baixos níveis de vitamina D aumentam o risco de fraturas em idosos. A suplementação de vitamina D pode prevenir tais fraturas.

– A vitamina D também pode ajudar a aumentar a força muscular, o que, por sua vez, ajuda a prevenir quedas, um problema comum que leva à incapacidade substancial e à morte em pessoas idosas.

– Mas cuidado ao tomar suplementos de vitamina D, pois uma dose muito alta de vitamina D pode aumentar o risco de fraturas nos ossos. Consulte um médico para saber qual é a dosagem ideal para você.

Doença cardíaca

Estudos demostram que baixos níveis de vitamina D estavam associados com maior risco de insuficiência cardíaca, morte cardíaca súbita, acidente vascular cerebral, doença cardiovascular geral e morte cardiovascular. Há evidências de que a vitamina D desempenha um papel importante no controle da pressão arterial e na prevenção do dano da artéria, o que pode explicar esses achados.

Câncer

Estudos sugerem uma associação entre baixos níveis de vitamina D e riscos aumentados de câncer colorretal e outros tipos de câncer.

Sistema imunológico

O papel da vitamina D na regulação do sistema imunológico levou os cientistas a explorar dois caminhos de pesquisa paralelos: a deficiência de vitamina D contribui para o desenvolvimento de esclerose múltipla, diabetes tipo 1 e outras doenças chamadas “autoimunes”, onde o sistema imunológico do corpo ataca seus próprios órgãos e tecidos.

Esclerose Múltipla

Um estudo prospectivo descobriu que, entre homens e mulheres brancos, aqueles com os maiores níveis de vitamina D tinham um risco 62% menor de desenvolver Esclerose Múltipla do que aqueles com menores níveis de vitamina D.

Diabetes

A diabetes tipo 1 é outra doença que varia com a geografia – uma criança na Finlândia, país com pouco sol, é cerca de 400 vezes mais propensa a desenvolvê-la do que uma criança morando em países tropicais com muito sol.

Tuberculose

Antes do advento dos antibióticos, a luz solar e as lâmpadas solares faziam parte do tratamento padrão para a tuberculose (TB). Pesquisas mais recentes sugerem que a “vitamina do sol” pode estar ligada ao risco de tuberculose. Vários estudos caso-controle, quando analisados em conjunto, sugerem que as pessoas diagnosticadas com tuberculose têm níveis mais baixos de vitamina D do que pessoas saudáveis de idade semelhante e outras características. ´

Suplementos de vitamina D

Comer alimentos ricos em vitamina D é a melhor maneira de obter vitamina D. Se você ainda precisar de um maior nível, existem dois tipos de suplementos: D 2 (ergocalciferol), que é o tipo encontrado em alimentos, e D 3 (colecalciferol), que é do tipo feito a partir de luz solar. Elas são produzidas de forma diferentes, mas ambos podem aumentar os níveis de vitamina D no sangue. A maioria das multivitaminas tem 400 UI de vitamina D. Verifique com seu médico quais os melhores suplementos para suas necessidades.

Os sintomas de deficiência da “vitamina D”

A maioria das pessoas com baixos níveis sanguíneos de vitamina D não notam quaisquer sintomas. A deficiência grave em adultos pode causar ossos quebradiços. Os sintomas incluem dor óssea e fraqueza muscular.

Testando seu nível de vitamina D

Há um simples exame de sangue usado para verificar o seu nível de vitamina D, chamado de 25-hidroxivitamina D. Orientações atuais definem um nível de sangue de 20 nanogramas por mililitro (ng / ml) como uma meta para a boa saúde dos ossos e saúde em geral. No entanto, alguns médicos dizem que as pessoas devem ter níveis mais altos, de cerca de 30 ng / mL para obter os benefícios de saúde completos de vitamina D.

Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.


Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.


Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM


O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA – ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO

Compartilhar