Como cuidar do fígado após a cura da hepatite C?

627

Voltar

Muitos pensam que com a cura da hepatite C o fígado fica totalmente novo, “zero quilometro” ignorando que a fibrose ou cirrose existente antes do tratamento ainda continuam exatamente igual ao finalizar o tratamento. Uma melhoria no grau de fibrose ou da cirrose é possível de acontecer, sendo bem mais fácil em pessoas jovens que naqueles de maior idade.

Pessoas de maior idade muito provavelmente possuem outras condições de saúde que afetam o fígado, entre as mais comuns temos o diabetes, pressão alta, colesterol elevado, sedentarismo, estão com o peso acima do ideal e, seja por alguma destas ou por outras condições não mencionadas uma melhoria no fígado poderá ser mais demorada ou nem sequer acontecer.

Não podemos esquecer que muitos fazem uso de suplementos e medicamentos por várias condições, os quais deverão ser processados no fígado que ainda está com fibrose ou cirrose e, nem falar daqueles que abusando das bebidas alcoólicas aceleram os danos ao fígado.

Então, podemos resumir colocando que o fígado tem poder para se regenerar, sempre e quando não existam outras condições de saúde ou fatores que continuem a afeta-lo, assim, em cada indivíduo a regeneração do fígado pode ser mais rápida ou mais lenta e em alguns até poderá piorar.

Para conhecer sobre a cura da hepatite C acesse http://www.hepato.com/category/cura-da-hepatite/   e para saber mais sobre a regeneração da fibrose veja em http://www.hepato.com/category/fibrose-reggressao/

Vamos então falar um pouco sobre alimentos que em nada ajudam a melhorar o estado o fígado, até podemos falar que podem ser prejudicais se ingeridos em excesso.

Açúcar

Muito açúcar pode prejudicar o fígado, não somente provocar caries nos dentes. O fígado usa um tipo de açúcar, chamado frutose, para produzir gordura. Demasiado açúcar refinado e xarope de milho rico em frutose utilizado para adoçar alimentos processados provoca um acúmulo de gordura que pode levar a doenças do fígado. Alguns estudos mostram que o açúcar pode ser tão prejudicial para o fígado quanto o álcool, mesmo que você não esteja acima do peso ideal. É mais um motivo para limitar os alimentos com açúcares adicionados, como refrigerantes e doces processados.

Sal

Seu corpo precisa de um pouco de sal, estudos sugerem que uma dieta alta em sódio pode levar à fibrose, que é o primeiro estágio da cirrose no fígado. Para evitar a tentação de colocar mais sal na comida tire o saleiro da mesa.

Suplementos de ervas

Não por ser “natural” é isento de problemas, o veneno de cobra também é natural. Cuidado com uma erva chamada kava kava utilizada por mulheres para aliviar os sintomas da menopausa ou como um relaxante por pessoas ansiosas. Estudos mostram que a kava kava pode impedir o fígado de funcionar corretamente.  Você deve sempre conversar com seu médico antes de tomar qualquer erva para garantir sua segurança.

Peso acima do ideal

A gordura extra pode acumular-se nas células do fígado e levar à doença hepática gordurosa não alcoólica DHGNA (NAFLD). Como resultado, seu fígado pode inchar, levar a fibrose e a cirrose. É mais provável que você tenha DHGNA (NAFLD) se estiver com sobrepeso ou obeso, se já estiver na meia-idade ou se tiver diabetes. Você pode ser capaz de mudar as coisas. Dieta e exercício podem diminuir ou parar a progressão da doença.

Demasiada vitamina A de suplementos

Seu corpo precisa de vitamina A, e é bom obtê-la de plantas como frutas e vegetais frescos, especialmente aqueles que são vermelhos, laranja e amarelos. Mas se você tomar suplementos que tenham altas doses de vitamina A isso pode ser um problema para o seu fígado. Verifique com seu médico antes de tomar qualquer suplemento de multivitaminas, pois alguns contem altas doses de vitamina A que muito provavelmente não é necessária.

Refrigerantes

Pesquisas mostram que as pessoas que bebem muitos refrigerantes têm maior probabilidade de ter doença hepática gordurosa não alcoólica (DHGNA (NAFLD). Os refrigerantes são altamente calóricos.

Acetaminofeno – Paracetamol

Muitos indivíduos para tratar uma dor nas costas, uma dor de cabeça ou um resfriado, fazem uso de analgésicos, sendo o mais comum o acetaminofeno (paracetamol).  Cuidado para não ultrapassar a dose diária recomendada, muitos produtos contem paracetamol (por exemplo, uma pílula para a dor de cabeça e outra para o resfriado, e se ambos tiverem paracetamol poderá estar ingerindo acima da dose diária e prejudicar o seu fígado.

Gorduras Trans

As gorduras trans são gorduras que existem em alguns alimentos embalados e assados. Na lista de ingredientes aparecem como “parcialmente hidrogenados”. Uma dieta rica em gorduras trans aumenta a probabilidade de ganhar peso. Isso não é bom para o seu fígado.

Batatas fritas e hambúrgueres são uma má escolha por serem carregados de gordura.

Bebidas alcoólicas

Você provavelmente já sabe que beber demais é ruim para o seu fígado. Mas você pode não perceber que “muito” pode acontecer sem você ser um alcoólatra ou viciado em álcool. É fácil beber mais do que você pensa. Muitos copos podem conter muito mais do que uma porção padrão, que é de 150 mililitros de vinho, 350 mililitros de cerveja ou 40 mililitros de licor ou bebidas destiladas. Não ultrapasse a recomendação universal de uma bebida por dia para as mulheres e até 2 por dia para os homens.

Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com

IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.

Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.

Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação médica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte:
WWW.HEPATO.COM

O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA – ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO

Compartilhar