Informações sobre a hepatite C para quem não tem hepatite C

624

Voltar

Aproximadamente 75% das pessoas quando são infectadas com a hepatite C não apresentam sintomas. Os restantes 25% podem ter fadiga, perda de apetite, dores musculares, ou febre.

É muito raro que um infectado pela hepatite C apresente algum sintoma ou sinais de hepatite, como urina escura, olhos amarelados ou fezes cor marrão parecendo lama nas semanas seguintes a ter acontecido a infecção. Aqueles que desenvolvem sintomas logo após serem infectados (entre as 6 e 10 semanas após a infecção) apresentam sintomas gastrointestinais leves e, por serem leves podem não levar a uma visita ao médico.

Com o tempo, a infecção fica crônica quando então podem aparecer sinais de inflamação no fígado, um alerta para o médico suspeitar que a infecção pode estar presente. Indivíduos infectados podem sentir fadiga ou se queixarem de sintomas inespecíficos.

O vírus da hepatite C inflama o fígado desenvolvendo fibrose, um caminho para uma futura cirrose, quando então já passa a ser considerado um caso grave e então podem aparecer entre vários sintomas um dos seguintes: elevação das enzimas do fígado (chamadas de transaminases), fraqueza, perda de apetite, emagrecimento, aumento das mamas nos homens (ginecomastia), vermelhidão das palmas das mãos, dificuldade com a coagulação do sangue, aparecimento na pele de vasos sanguíneos parecidos com aranhas na pele, dor abdominal, fezes de cor marrão parecendo lama, sangramento do esôfago provocando náuseas com sangue, aumento do abdômen por acumulação de fluidos (chamada popularmente de barriga de água), a pele e os olhos podem ganhar uma cor amarelada (icterícia), confusão mental, e até nos casos graves levar ao coma. Ante qualquer um dos sintomas procure um médico, lembrando que não serão todos esses sintomas que irão aparecer ao mesmo tempo, mas cada um deles é um importante sinal de alerta.

Quais são as complicações da hepatite C não diagnosticada?

Diabetes, doença cardíaca e entupimento das artérias são mais comuns em pacientes com hepatite C do que na população geral. Pode ser que o dano hepático e a inflamação crônica causada pela hepatite C possam afetar os níveis de gorduras do sangue (lipídios) e açúcar no sangue.

A hepatite C está associada a dois problemas de pele, o líquen plano e a porfiria cutânea tardia.

Após vários anos ou décadas de ter acontecido a infecção, a inflamação crônica pode causar a morte de células do fígado (fibrose, cirrose). Quando o fígado se torna cirrótico, torna-se rígido e não consegue desempenhar suas funções normais de eliminar os resíduos do sangue.

À medida que a cirrose se agrava, os sintomas de insuficiência hepática começam a aparecer. Isso é chamado de “cirrose descompensada” ou “doença hepática terminal”.

RECOMENDAÇÃO:

Na próxima consulta médica fale sobre a necessidade de realizar o teste da hepatite C. É um teste simples e fácil, encontrado nas unidades de saúde e realizado obrigatoriamente por tosos os planos de saúde.  O teste pode salvar sua vida?

Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com

IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.

Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.

Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação médica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM

O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA – ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO

 

Compartilhar