Inflamação e fibrose

258

Voltar

A palavra “inflamação” remonta ao latim “incendiar”. Em algumas condições, como a artrite reumatoide, a pessoa sente calor, dor, vermelhidão e inchaço. Mas em outros casos – como doenças cardíacas, Alzheimer e diabetes – a inflamação é silenciosa, sem sintomas.

Inflamação é realmente boa a curto prazo. É parte da resposta natural do sistema imunológico para curar uma lesão ou combater uma infecção. Mas se a inflamação permanecer por longo prazo, ficando “crônica”, passa a ser perigosa para o organismo, dificultando a circulação sanguínea e a regeneração celular, tal qual acontece no fígado, levando a fibrose e a cirrose.

Também, artérias inflamadas são comuns entre pessoas com doenças cardíacas. Alguns pesquisadores acham que quando as gorduras se acumulam nas paredes das artérias coronárias do coração, o corpo reage com substâncias químicas inflamatórias, já que isso é como uma “lesão” no coração. Isso pode desencadear um coágulo sanguíneo que causa um ataque cardíaco ou derrame.

Inflamação e diabetes tipo 2 geralmente andam juntos. Provavelmente a obesidade desencadeia a inflamação, o que torna mais difícil para o corpo usar insulina. Essa pode ser uma das razões pelas quais perder quilos extras e mantê-los longe é um passo fundamental para diminuir a chance de ter diabetes tipo 2.

A inflamação cerebral crônica é frequentemente vista em pessoas com esse tipo de demência. Os cientistas ainda não entendem exatamente como isso funciona, mas a inflamação pode desempenhar um papel ativo na doença.

A inflamação crônica está ligada à colite ulcerativa e à doença de Crohn, que são tipos de doença inflamatória intestinal. Acontece quando o sistema imunológico do corpo ataca erroneamente as bactérias saudáveis ​​do intestino e causa inflamação que fica ao redor. Podem aparecer sintomas como dor no peito, cólicas e diarreia.

O que muitas pessoas pensam como “artrite” é a osteoartrite, na qual o tecido que protege as articulações, a cartilagem, se rompe, principalmente quando as pessoas envelhecem. A artrite reumatoide é diferente. Na artrite reumatoide, o sistema imunológico ataca as articulações do seu corpo, causando inflamação que pode prejudicá-las – e até mesmo o coração. Os sintomas incluem dor, rigidez e articulações vermelhas, quentes e inchadas.

Diversos alimentos combatem a inflamação. Frutas, legumes, grãos integrais, proteínas à base de plantas (como feijão e nozes), peixes ricos em ácidos graxos ômega-3 (como salmão, atum e sardinha) e óleos mais saudáveis, como o azeite de oliva. Também são benéficos os alimentos com probióticos, como iogurte (basta verificar que não tenham muito açúcar). As gorduras saturadas, encontradas em carnes, laticínios integrais e alimentos processados devem ser evitadas ou limitadas na dieta.

Mesmo tendo artrites reumatoide, em que a inflamação é um problema, o exercício é recomendado. Ajuda a manter um peso saudável, que é outra boa maneira de manter a inflamação sob controle. Pergunte ao seu médico quais tipos de atividades são melhores para seu caso.

Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com

IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.

Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.

Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação médica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM

O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA – ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO

 

 

Compartilhar