2019 – FINALMENTE OS MEDICAMENTOS PARA TRATAMENTO DA HEPATITE C

1125

Voltar

Já se encontram no almoxarifado do ministério da saúde os medicamentos para tratamento da hepatite C sofosbuvir/daclatasvir para atender os 15.000 infectados que pacientemente alguns estão aguardando desde fevereiro de 2018, quando foi a última distribuição.

Agora conforme a logística da distribuição aos estados, com a necessária e natural burocracia chegarão os medicamentos aos estados. A entrega aos pacientes passa a ser conforme a celeridade da coordenação de hepatites de cada estado. É provável que alguns pacientes estejam recebendo já em janeiro, mas o mais provável é fevereiro.

É necessário o Departamento HIV/Hepatites esclarecer se os exames realizados quando da solicitação do tratamento serão considerados validos ou se aqueles que devem ser repetidos a cada três ou seis meses estão vencidos e deverão ser realizados novamente para o infectado receber os medicamentos. A carga viral antes do tratamento, essa sim é importante de ser feita novamente.

 

PUBLICADO O NOVO PROTOCOLO DE TRATAMENTO DA HEPATITE C

No final de dezembro foi publicado o novo PCDT –Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para tratamento da Hepatite C e coinfecções, que pode ser encontrado na página http://conitec.gov.br/images/Relatorios/2018/Relatorio_PCDT_HepatiteCCoinfeccoes.pdf

Os medicamentos incorporados ao SUS no novo protocolo inclui tudo o que mais de moderno existe para o tratamento da hepatite C no mundo, sendo eles o interferon peguilado 180mcg; ribavirina; sofosbuvir/daclatasvir; sofosbuvir/ledipasvir; elbasvir/grazoprevir; glecaprevir/pibrentasvir; sofosbuvir/velpatasvir; alfaepoetina e filgrastim. Não significa que todos estarão disponíveis no sistema público, pois dependem do preço que cada fabricante oferecer durante o pregão para aquisição de 50.000 tratamentos que acontecerá no dia 16 de janeiro próximo.

 

 EDITAL DO PREGÃO PRESENCIAL – MEDICAMENTOS HEPATITE C

Acontece no dia 16 de janeiro o pregão para aquisição de 50.000 tratamentos para hepatite C.  Todos os medicamentos constantes no novo protocolo estão compreendidos e aqueles que ofertarem o menor preço serão os tratamentos que passaram a ser distribuídos aos pacientes durante 2019.

Após a consulta de preços realizada em junho passado o ministério a cancelou alegando que o ideal seria seguir as recomendações da Organização Mundial da Saúde simplificando o tratamento, reduzindo a quantidade de exames e por consequência a logística de distribuição como única forma de universalizar e conseguir interiorizar o tratamento, para que médicos do interior, não especialistas, possam tratar os infectados.

A OMS recomenda exclusivamente o uso de tratamentos com medicamentos pan-genótipos para o tratamento de pessoas com hepatite C com 18 anos ou mais. Temos no Brasil dentro do Protocolo os três tratamentos que atendem todos os genótipos: sofosbuvir/daclatasvir; glecaprevir/pibrentasvir (Maviret) e sofosbuvir/velpatasvir (Epclusa).

Portanto não é compreensível porque está sendo realizado um pregão por genótipos e não somente com os três tratamentos que atendem a todos os genótipos. Dessa forma ficará mais difícil atingir a meta de eliminação da hepatite C.

EM TEMPO: Os dois medicamentos para tratar somente o genótipo 1 são ótimos na sua eficácia, pero deveríamos seguir a lógica recomendação da OMS utilizando somente medicamentos pan-genótipos para conseguir cumprir a meta de eliminação da hepatite C.

Esperamos que neste novo ano de 2019 seja possível recuperar o retrocesso dos dois últimos anos, já que se em 2016 foram realizados 36.627 tratamentos para hepatite C no Brasil, caindo para 25.988 em 2017 e somente 13.000 em 2018, uma estatística triste. Vamos lutar para que o novo ministério da saúde trate 50.000 pacientes em 2019.

Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com

IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.

Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.

Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação médica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte:
WWW.HEPATO.COM

O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA – ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO

 

Compartilhar