Como andam as ações para acabar com a hepatite B no mundo

612

Voltar

O vírus da hepatite B pode permanecer altamente infeccioso por várias semanas em temperatura ambiente e pode até mesmo manter a estabilidade em temperaturas de 4 graus Celsius durante um período de 9 meses, de acordo com um novo estudo.

A hepatite B é considerado um grande problema de saúde pública, com um número significativo de casos de surto registrados. A hepatite B pode ser transmitida através do contato com fluidos corporais, como o sangue, de um indivíduo infectado, o que pode colocar em risco hospitais e instituições de saúde.

Apesar das reduções nos custos dos medicamentos antivirais eficazes contra a infecção pelo vírus da hepatite B a cobertura global do tratamento permanece baixa, de acordo com o Relatório Semanal de Morbidade e Mortalidade do CDC .

Ao avaliar o progresso global no acesso ao tratamento da hepatite B em 2016, os autores do estudo descobriram que é necessário melhorar o acesso a medicamentos para hepatite B efetivos para ampliar a cobertura do tratamento entre indivíduos com o vírus, particularmente em países com alta carga de doença.

Estima-se que 257 milhões de pessoas estão vivendo com infecção crônica por hepatite B. Entre esses indivíduos, estima-se que 27 milhões tenham recebido um diagnóstico e estejam cientes de sua infecção em 2016, e estima-se que 4,5 milhões estejam recebendo tratamento para hepatite B.

Os autores do estudo descobriram que a cobertura de tratamento é mais alta na região do Pacífico Ocidental e nos países de renda média alta. A África, que tem uma das maiores prevalências de infecção por hepatite B e maior mortalidade por câncer de fígado, não possuía em 2016 nenhum programa nacional estabelecido para fornecer serviços de teste, assistência e tratamento para todos os indivíduos infectados.

Uma redução de 90% na incidência e uma redução de 65% na mortalidade são necessários para atingir as metas de eliminação do vírus em todo o mundo até 2030. Aproveitar-se da disponibilidade de antivirais genéricos eficazes no tratamento da infecção pela hepatite B poderia aumentar ainda mais o acesso ao tratamento e ajudar a avançar para metas de eliminação.

MEU COMENTÁRIO

No Brasil é estimado que existam até 1 milhão de infectados com hepatite B, mas faltam campanhas de diagnóstico e de opções de tratamento especializados, resultando que somente 29.000 infectados se encontram em tratamento.

Resulta revoltante comparar com o HIV (aids) epidemia que atinge um número similar de infectados ao da hepatite B, mas enquanto no HIV aproximadamente 600.000 infectados recebem tratamento, na hepatite B somente 29.000 recebem tratamento.

Existe vacina para prevenção da hepatite B, ela é gratuita e está disponível em todos os postos e unidades de saúde, para qualquer pessoa, de qualquer idade que queira ser vacinada, mas a procura pela vacina é pequena.  A vacina é importante, mas lamentavelmente não tem procura.

Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com

IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.

Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.

Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação médica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM

Compartilhar