O tratamento da hepatite C não está associado à recorrência do câncer de fígado

329

Voltar

Novos resultados do estudo mostram que, apesar de análises clínicas internacionais recentes, o tratamento da hepatite C com os medicamentos orais (DAA) não está associada a uma maior recorrência de câncer de fígado em pacientes que sofreram ambas as condições.

De acordo com uma pesquisa do Centro Médico da Universidade do Texas, as taxas de agressividade e recorrência do câncer em pacientes tratados da hepatite C com os novos medicamentos (DAA) não foram diferentes daqueles infectados que não receberam tratamento.

Liderados pelo Dr. Amit G. Singal, professor associado de Medicina Interna e diretor médico do Programa de Tumores Hepáticos, os pesquisadores realizaram uma análise de coorte retrospectiva de pacientes com câncer de fígado relacionado a hepatite C que haviam sido tratados anteriormente de 2013 a 2017 em 31 sistemas de saúde diferentes baseados nos Estados Unidos ou no Canadá. Os pacientes incluídos no estudo relataram anteriormente uma resposta completa à ressecção, ablação local, quimio ou radio embolização trans-arterial ou radioterapia.

Nos 793 pacientes identificados com câncer de fígado associado a hepatite C, 304 (38,3%) foram tratados com os medicamentos orais e o restante (489; 61,7%) não foi tratado.

Os resultados mostram que a recorrência do câncer de fígado ocorreu em menos da metade dos pacientes tratados com os medicamentos orais (128; 42,1%), com recidiva precoce sendo relatada em 52 desses pacientes. Entre os pacientes não tratados, a recidiva do câncer foi maior (288; 58,9%), com recidiva precoce relatada na maioria dos pacientes (227).

MEU COMENTÁRIO

Os resultados são um alivio para infectados com hepatite C que já trataram um câncer de fígado e ficam com medo de tratar a hepatite C apreensivos com a possiblidade do câncer voltar a atacar o fígado, mas as evidências mostram que tratando ou não tratando a hepatite C essa possibilidade é praticamente a mesma. O reaparecimento do câncer de fígado não é influenciado pelo tratamento da hepatite C com os medicamentos orais.

IMPORTANTE: Chamo ainda atenção para aqueles que fazem uma leitura sem prestar muita atenção, que a recorrência do câncer de fígado é possível somente naqueles que já tiveram câncer de fígado e resultaram curados do mesmo. Por favor, não interpretem que todos os tratados de hepatite C estarão desenvolvendo câncer, pelo contrário, a cura da hepatite C afasta tal possibilidade, especialmente em pacientes sem cirrose.

Fonte: Direct-Acting Antiviral Therapy not Associated with Recurrence of Hepatocellular Carcinoma in a Multicenter North American Cohort Study – Amit G. Singal and others – Gastroenterology – 10.1053/j.gastro.2019.01.027

Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com

IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.

Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.

Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação médica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM

O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA – ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO

Compartilhar