O Fígado e o Diabetes – Frutas na alimentação de pessoas com problemas no fígado

1638

Voltar

As frutas são uma tentadora opção de sobremesa, mas é necessário que pessoas com problemas no fígado sejam cautelosas na sua ingestão.

A possiblidade de desenvolver diabetes é maior nas pessoas com problemas no fígado, seja uma hepatite (inclusive já curada) ou com gordura no fígado (esteatose), mas você sabe ou imagina quanto de açúcar você está ingerindo ao comer uma fruta?

A seguir, as principais frutas na alimentação e a quantidade de açúcar que sem saber estão alimentando seu organismo, sobrecarregando seu fígado e a capacidade do pâncreas produzir insulina.

ABACATE

Nem todas as frutas são carregadas de açúcar. Um abacate inteiro tem apenas meio gramo de açúcar. Coloque-o em uma salada ou faça algum creme. Mas atenção, o abacate é rico em calorias, por isso pode não ser uma boa ideia para torná-los um hábito diário.

BANANA

Uma banana média possui 14 gramas de açúcar.

CEREJA

Um copo médio de cerejas tem 18 gramas de açúcar.

FIGO

Cada figo de tamanho médio tem 8 gramas de açúcar.

FRAMBOESA

Um copo médio com framboesas tem somente 5 gramas de açúcar

GOIABA

Cada goiaba tem 5 gramas de açúcar.

MANGA

A manga tem uma enorme quantidade de açúcar, 45 gramas, não é a sua melhor escolha se você estiver tentando controlar a quantidade de açúcar que você come.

MELANCIA

Uma fatia média de melancia tem 17 gramas de açúcar.

MELÃO

Uma fatia de tamanho médio de melão tem apenas 5 gramas de açúcar e apenas 23 calorias.

MAMÃO PAPAIA

Metade de um mamão papaia pequeno tem 6 gramas de açúcar.

MORANGO

Um copo de morangos inteiros tem apenas 7 gramas de açúcar.

PERA

Uma pera de tamanho médio tem 17 gramas de açúcar.

UVA

Um copo de uvas tem cerca de 23 gramas de açúcar.

Pessoas com gordura no fígado que tem ou tiveram alguma hepatite devem ser acompanhadas rotineiramente pelo profissional de saúde para evitar desenvolver diabete.

Pessoas com diabete não somente devem controlar a glicose, como devem ser acompanhadas para tentar diagnosticar a o que foi que causou o diabetes, podendo ser obesidade, sedentarismo, alimentação inadequada ou até uma hepatite C ainda não diagnosticada.

Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com

IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.

Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.

Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação médica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte:
WWW.HEPATO.COM

O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA – ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO

Compartilhar