A gordura no fígado é um grave problema de saúde

501

Voltar

O mundo está preocupado com a epidemia de gordura no fígado, uma doença silenciosa, em geral sem sintomas evidentes, sendo estimado que aproximadamente 25% da população mundial já apresente algum grau de depósitos de gordura no fígado e entre 1,5% e 6,45% da população mundial já esteja em estado avançado de depósitos de gordura no fígado, provocando nesse estágio inflamação com fibroses e, progredindo para a cirrose ou o câncer de fígado.

Entre as várias causas que podem ocasionar depósitos de gordura no fígado se encontram a hepatite C, a obesidade, o diabetes tipo 2, a dislipidemia (colesterol e triglicérides), abuso de bebidas alcoólicas, a síndrome metabólica, ovários policísticos, nutrição inadequada, sedentarismo, entre muitas outras.

O quadro a seguir mostra como o fígado é prejudicado com o acúmulo progressivo de gordura no fígado.

As mortes ocasionadas pela gordura no fígado estão aumentando, atualmente em muitos países já é a principal indicação de transplante de fígado, e quando comparado ao que acontece num período de 13 ou 14 anos em indivíduos sem gordura no fígado com aqueles que já apresentam gordura o resultado é alarmante.

O quadro a seguir mostra que pessoas sem gordura no fígado que foram acompanhadas durante 14 anos, pouquíssimos morrem por problemas no fígado e a mortalidade geral não chega a 18%, já quando chegam a apresentar muita gordura no fígado (NASH – Esteato Hepatite) a mortalidade geral é de aproximada 40% dos indivíduos, sendo que as mortes relacionadas ao fígado e os problemas cardiovasculares ultrapassam as mortes por outras causas em geral.

Não existem exames de sangue que sirvam para diagnosticar efetivamente a gordura no fígado. As transaminases apresentam resultados normais em 80% dos indivíduos com gorduras no fígado. O simples hemograma também nada irá indicar.

Os melhores métodos para identificar a gordura no fígado são a ultrassonografia (o fígado aparece embranquecido) e a eletrografia hepática, desde que o aparelho tenha os acessórios necessários. A biopsia hepática é o padrão ouro, o mais efetivo, mas por ser um procedimento invasivo somente é indicado em casos muitos específicos.

Um alerta em muitos casos e dado pela circunferência abdominal, que não deve ultrapassar 88 cm nas mulheres e 102 cm nos homens.

Ainda não existem medicamentos para tratamento da gordura no fígado, muitos estão em fases adiantadas de pesquisas, mas ainda deverão demorar alguns anos para chegar ao mercado.

Para conhecer o que a pessoa pode fazer para controlar e até para eliminar a gordura no fígado, acesse o artigo seguinte, publicado em http://www.hepato.com/2019/10/cuidando-tratando-la-grasa-del-higado-esteatosis/  

Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com

IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.

Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.

Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação médica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte:
WWW.HEPATO.COM

O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA – ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO

Compartilhar