Efeitos colaterais e adversos no tratamento da hepatite C

755

Voltar

Os medicamentos para tratamento da hepatite C, orais e livres do interferon não somente possuem possibilidades de cura elevada, como também a tolerabilidade é excelente.  São mínimos, inferiores a 1% dos pacientes, que aconteça algum efeito adverso dos medicamentos que ocasione a interrupção do tratamento.

Vamos então, conforme ensaios clínicos a experiencia na vida real, ver alguns efeitos colaterais ou adversos que podem acontecer com alguns pacientes, porém esclarecendo que não todos eles estarão acontecendo, isto é, que podem vir a acontecer.

Sofosbuvir00

Nos pacientes com problemas cardíacos que fazem uso de “amiodarona” e irão realizar o tratamento da hepatite C com medicamentos que na sua formulação inclui o sofosbuvir pode acontecer como efeito adverso bradicardia sintomática grave, o médico deve recomendar a troca da amiodarona” durante o tratamento.

Daclatasvir

Os efeitos adversos mais comuns observados avaliando o uso de daclatasvir em combinação com outros medicamentos antivirais podem ser fadiga, dor de cabeça e náusea.

Ledipasvir / Sofosbuvir  (Harvoni®) 

Os eventos adversos mais comuns em pacientes tratados com ledipasvir / sofosbuvir podem ser fadiga, cefaleia e alguma fraqueza. Outros eventos adversos relatados incluíram náusea, diarreia e insônia. A maioria dos eventos adversos foi leve, sem gravidade.

Elbasvir / Grazoprevir (Zepatier®)

O elbasvir / grazoprevir é contraindicado em doentes com insuficiência hepática moderada a grave (Child-Pugh B ou C). Os eventos adversos mais comuns em pacientes tratados com elbasvir / grazoprevir por 12 semanas podem ser fadiga, dor de cabeça e náusea. A maioria dos eventos adversos foi de gravidade leve. Quando o elbasvir / grazoprevir foi administrado com ribavirina durante 16 semanas em ensaios clínicos, os eventos adversos mais comuns de grau moderado ou grave foram anemia e dor de cabeça. Outros eventos adversos relatados incluíram fadiga, dispneia e erupção cutânea ou prurido.

Sofosbuvir / Velpatasvir (Epclusa®)

Os eventos adversos mais frequentes que ocorrem em menos de 10% dos infectados tratados com sofosbuvir / velpatasvir são dores de cabeça e fadiga.

Sofosbuvir / Velpatasvir / Voxilaprevir (Vosevi®)

Os eventos adversos mais frequentes que ocorrem em menos de 10% dos doentes tratados com 12 semanas de sofosbuvir / velpatasvir / voxilaprevir são dores de cabeça, fadiga, diarreia e náuseas

Glecaprevir / Pibrentasvir (Maviret®)

Os eventos adversos mais frequentes que ocorrem em menos de 5% dos pacientes tratados com 8-16 semanas de glecaprevir / pibrentasvir são dor de cabeça, fadiga e náusea. O metabolismo da bilirrubina pode ser transitoriamente afetado durante o tratamento com a recuperação dos níveis de bilirrubina total após a conclusão do tratamento.

Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com

IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.

Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.

Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação médica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte:
WWW.HEPATO.COM

O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA – ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO

Compartilhar