Opinião de médicos, farmacêuticos, pacientes e profissionais de saúde na utilização de genéricos não aprovados no tratamento da hepatite C

266

Voltar

Este estudo foi realizado nos Estados Unidos, país onde não existe um sistema público de saúde que oferece tratamento gratuito para todos os infectados, então infectados com hepatite C que não possuem um plano de saúde devem comprar o medicamento, mas devido a seu alto custo alguns recorrem a comprar genéricos de medicamentos genéricos não aprovados pela agencia reguladora, compras essa feitas em importadores ou diretamente pela internet.

O esquema de importação pessoal é baseado no direito legal de importar genéricos não autorizados para uso pessoal. Este estudo foi desenvolvido para avaliar o conhecimento e as percepções das partes interessadas sobre genéricos não autorizados.

Os pesquisadores realizaram uma pesquisa on-line anônima com base na situação fictícia de um paciente com diagnóstico de hepatite C que não possuía seguro de saúde obrigatório e recursos financeiros pessoais.

No total foram computadas as repostas de 781 entrevistados: 445 médicos, 77 farmacêuticos, 51 pacientes e 207 profissionais de saúde. P resultado mostra que que apenas 36% e 58% dos entrevistados acreditam que a qualidade e a eficácia, respectivamente, dos genéricos não autorizados são equivalentes à marca original. Uma maioria esmagadora (98%) acha que deveria existir controle de qualidade na chegada do medicamento e 31% consideraram que podiam reconhecer sites fraudulentos.

Concluem os autores que é limitado conhecimento sobre a eficácia e qualidade dos genéricos não registrados no país, mas veem como extremamente positiva a possibilidade de importação pessoal, enfatizando a necessidade de informações mais claras sobre a qualidade e eficácia de genéricos importados e a segurança potencial oferecida pelos esquemas de clubes de compradores.

Fonte: Access to unauthorized hepatitis C generics: Perception and knowledge of physicians, pharmacists, patients and non-healthcare professionals – Amandine Garcia, Sascha Moore Boffi, Angèle Gayet-Ageron, Nathalie Vernaz – Published: October 10, 2019 – https://doi.org/10.1371/journal.pone.0223649

Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com

IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.

Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.

Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação médica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte:
WWW.HEPATO.COM

O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA – ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO

Compartilhar