010_otimismo_port

Resultados da pesquisa sobre o impacto das palavras nas campanhas das hepatites

11/07/2011

A pesquisa teve como objetivo conhecer quais palavras referentes a saúde causam maior impacto na população em geral. Para tal foi solicitado aos associados do grupo que voluntariamente perguntassem a diversas pessoas que selecionassem de uma lista de 10 palavras colocadas em ordem alfabética, quais delas causava maior impacto, maior apreensão.

Foi indicado que não deveriam fazer qualquer referencia que se tratava de uma pesquisa de um grupo de hepatites e não deveriam incluir pessoas de seu grupo familiar, pois a resposta deveria ser espontânea, de pessoas não envolvidas emocionalmente com as hepatites.

Após descartar respostas individuais ou incompletas foram consideradas como validas 3.071 entrevistas realizadas pelos voluntários, totalizando 9.213 palavras. As três palavras mais citadas totalizam 6.355 representando 68,98% do total de palavras indicadas.

As três palavras que causam maior apreensão ou impacto na população entrevistada foram morte, câncer e acidente, individualmente praticamente empatadas no seu alcance.

A quarta palavra mais citada foi AIDS, o que resultou numa surpresa. Provavelmente o fato da AIDS pela efetividade dos tratamentos disponíveis ter deixado de ser considerada uma doença mortal, passando a ser uma doença crônica possa ser a explicação. Provavelmente, anos atrás, a AIDS poderia ter ficado entre as três primeiras colocadas.

Cirurgia foi a última colocada, o que faz sentido, já que devido aos avanços da medicina raramente acontecem graves problemas com cirurgias na atualidade.

Mas o objetivo principal era conhecer se a palavra hepatite causava medo, impacto ou apreensão na população do Brasil. Porem somente 5,18% da população considera a hepatite um problema que possa chamar sua atenção ou merecer maiores cuidados.

Uma analise mais depurada deve ser realizada, mas o fato da população brasileira adulta ter passado sem problemas por uma hepatite "A" na infância, muitas vezes sem sentir sintoma algum ou tendo curado simplesmente com repouso, comendo algum doce ou no máximo tomando um chã de picão, sem sofrer conseqüências graves ou com qualquer seqüela, pode ser o que origina a falsa impressão que uma hepatite, seja ela qual for, não é considerada uma doença grave.

Em pesquisa que realizamos com 2.483 pessoas no ano de 2007 encontramos que um grande percentual confunde as hepatites não sabendo diferenciar entre as hepatites A, B ou C, o que pode justificar o resultado do pouco impacto que causa a palavra hepatite. (diversas pesquisas realizadas pelo Grupo Otimismo são encontradas em http://www.hepato.com/p_otimismo/pesquisas_estudos_otimismo.html ).

Um dado intrigante, mas que deve ser considerado para a realização de pesquisa mais aprofundada, foi enviado pelo LACEN do Distrito Federal. Eles perguntaram a 50 pessoas que trabalham no LACEN-DF sobre o impacto das 10 palavras, mas ao mesmo tempo solicitaram indicar qual o nível educacional. Quatro pessoas colocaram o impacto da palavra hepatite como uma das três primeiras indicadas. Ao cruzar os resultados com o nível educacional, as quatro foram indicadas por funcionários de nível educacional básico. Nenhum funcionário de nível educacional médio ou superior considerou a palavra hepatite como impactante. Uma surpresa, pois no LACEN são realizados os exames de laboratórios e todos os funcionários conhecem o que as hepatites podem causar.

O impacto ponderado de cada uma das 10 palavras pesquisadas na população brasileira foi o seguinte (os resultados somente são validos para o Brasil, dado que culturalmente em cada país existem percepções diferentes sobre doenças e suas conseqüências):

1 - Morte - 2.149 respostas - Palavra com 69,98% de impacto na população.

2 - Câncer - 2.134 respostas - Palavra com 69,48% de impacto na população.

3 - Acidente - 2.072 respostas - Palavra com 67,47% de impacto na população.

4 - AIDS - 1.256 respostas - Palavra com 40,90% de impacto na população.

5 - Doença - 640 respostas - Palavra com 20,84% de impacto na população.

6 - Infecção - 380 respostas - Palavra com 12,37% de impacto na população.

7 - Cirrose - 180 respostas - Palavra com 5,86% de impacto na população.

8 - Hepatite - 159 respostas - Palavra com 5,18% de impacto na população.

9 - Diabetes - 151 respostas - Palavra com 4,92% de impacto na população.

10 - Cirurgia - 92 respostas - Palavra com 2,99% de impacto na população.

Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.
Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.
Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM
O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA - ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO