Dieta para pacientes com cirrose e encefalopatia

339

Voltar

A “Sociedade Internacional para a Encefalopatia Hepática e Metabolismo do Nitrogênio” elaborou o consenso de recomendações nutricionais, informando que os pacientes com encefalopatia hepática devem seguir a mesma dieta indicada aos pacientes com cirrose sem eventos de encefalopatia.

Em principio as recomendações especificas foram divididas nas mais fortes, com maiores evidencias científicas e nas de menor certeza por que as evidencias são moderadas.

Recomendações mais fortes, com evidencias comprovadas:

– Todos os pacientes devem ser submetidos a uma avaliação nutricional inicial como parte do acompanhamento por parte do médico. (Os autores reconheceram que não existem atualmente ferramentas clinicamente práticas, bem validadas para avaliar nutrição).

– A ingestão da energia diária ideal deve ser de 35 a 40 calorias por kg de peso corporal do paciente.

– A ingestão de proteína diária ideal deve ser 1,2 a 1,5 gramas por kg de peso corporal do paciente.

– Pequenas refeições devem ser uniformemente distribuídas ao longo do dia e um lanche ao final do dia, de noite, de carboidratos complexos é ideal, ajudando a minimizar a utilização da proteína.

– A hiponatremia pode piorar a encefalopatia devendo sempre ser corrigida lentamente. (hiponatremia : desequilíbrio da concentração de sódio, correspondendo a taxas menores que 155 milimoles por litro).

Recomendações com menos certezas, mas com evidências moderada:

– Incentivar diariamente uma dieta rica em vegetais e proteínas.

– Suplementação de aminoácidos de cadeia ramificada pode permitir a entrada de nitrogênio recomendada para ser mantida em pacientes intolerantes a proteína dietética.

– Um curso de duas semanas de um multivitamínico poderia ser justificado em pacientes com cirrose descompensada internados.

– Incentivar uma dieta contendo de 25 a 45 g de fibra por dia, mas a utilidade dos probióticos é, ainda, pouco clara.

– Evitar o tratamento em longo prazo com formulações nutricionais contendo manganês.

Concluem as recomendações que o manejo eficaz dos pacientes com cirrose e encefalopatia requer uma abordagem multidimensional integrada. No entanto, mais pesquisas são necessárias para preencher as lacunas, na base de evidências atuais para aperfeiçoar o manejo nutricional de pacientes com cirrose e encefalopatia hepática.

Este artigo foi redigido com comentários e interpretação pessoal de seu autor, tomando como base a seguinte fonte:
The nutritional management of hepatic encephalopathy in patients with cirrhosis: International society for hepatic encephalopathy and nitrogen metabolism consensus – Amodio P, Bemeur C, Butterworth R, Cordoba J, Kato A, Montagnese S, Uribe M, Vilstrup H, Morgan MY. – Hepatology. 2013 Jul;58(1):325-36. doi: 10.1002/hep.26370.

Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com


IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.


Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.


Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação medica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM


O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA – ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO

Compartilhar