Probabilidades de desenvolver câncer de fígado após o tratamento da hepatite C

293

Voltar

Estudo publicado no “Journal of Hepatology” analisou nos infectados com hepatite C tratados com os medicamentos de ação direta – DAA –  (de uso oral, livres de interferon) qual é o risco de desenvolver câncer no fígado após o tratamento, com base na presença de cirrose e resultado de resposta virológica sustentada (cura).

Foram incluídos no estudo 45.810 pacientes dos Estados Unidos que iniciaram tratamento antiviral no sistema nacional de saúde Veterans Affairs (VA) de 1/1/2009 a 31/12/2015. A maioria dos pacientes recebeu apenas terapia DAA (64%), enquanto 22,5% receberam apenas terapia com interferon e 13,5% receberam uma combinação de interferon e DAA. No total, 23% tinham cirrose e 74% conseguiram a cura da hepatite C.

Os pacientes foram acompanhados por um período médio de 2,5 anos após o final do tratamento e nesse período 2,8% dos pacientes desenvolveram câncer no fígado.

Entre os pacientes com cirrose que não obtiveram a cura, o aparecimento de câncer foi de 5 a cada 100 pacientes a cada ano de acompanhamento.

Já no grupo de pacientes com cirrose que resultaram curados da hepatite C, o aparecimento de câncer foi de 2,2 a cada 100 pacientes a cada ano de acompanhamento.

Entre os pacientes sem cirrose que não obtiveram a cura da hepatite C, o aparecimento de câncer foi de 1,1 a cada 100 pacientes a cada ano de acompanhamento.

E entre os pacientes sem cirrose que obtiveram a cura da hepatite C, o aparecimento de câncer foi de 0,3 a cada 100 pacientes a cada ano de acompanhamento.

Concluem os pesquisadores que avaliando a possibilidade de câncer de fígado após o tratamento antiviral é possível reduzir os ‘danos’ de exames desnecessários em pacientes com menor possibilidade de desenvolver câncer (incluindo custos e exames de imagem desnecessários, biópsias de fígado e outros procedimentos) e aumentar os benefícios, dos  pacientes que são mais propensos a desenvolver câncer de fígado.

Fonte: Development of Models Estimating the Risk of Hepatocellular Carcinoma After Antiviral Treatment for Hepatitis C – George N. Ioannou, Pamela K. Green, Lauren A. Beste, Elijah J. Mun, Kathleen F. Kerr, Kristin Berry – journal-of-hepatology.eu/article/S0168-8278(18)32287-6

Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com

IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.

Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.

Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação médica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte:
WWW.HEPATO.COM

O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA – ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO

Compartilhar