IMPORTANTE – URGENTE: Todos devem tratar imediatamente a hepatite C

861

Voltar

O tratamento com antivirais de ação direta (medicamentos orais livres de interferon) está associado à um menor risco de mortalidade e menor possibilidade de desenvolver câncer de fígado e deve ser considerado por todos os indivíduos infectados com hepatite C.

Resultado do estudo “ANRS CO22 Hepather” realizado entre 6 de agosto de 2012 e 31 de dezembro de 2015 por pesquisadores franceses comparou a incidência de morte, câncer de fígado e cirrose descompensada entre infectados com hepatite C tratados com antivirais de ação direta e aqueles não tratados.

O estudo, prospectivo, foi realizado em pacientes adultos com infecção crônica da hepatite C recrutados em 32 centros especializados em hepatologia na França. Foram excluídos pacientes com hepatite B crônica, aqueles com história de cirrose descompensada, câncer de fígado ou transplante hepático e pacientes que foram tratados com interferon-ribavirina com ou sem inibidores da protease de primeira geração.

Os objetivos do estudo foram a incidência de mortalidade por todas as causas, câncer de fígado e cirrose descompensada. A associação entre antivirais de ação direta e esses desfechos foi quantificada usando modelos de riscos proporcionais de Cox dependentes do tempo. Este estudo está registrado com ClinicalTrials.gov número NCT01953458.

9.895 pacientes foram incluídos no estudo.  O seguimento mediano foi de 33,4 meses. O tratamento com antivirais de ação direta foi iniciado durante o acompanhamento em 7.344 pacientes e, 2.551 pacientes permaneceram sem tratamento na última visita de acompanhamento.

Durante os 33,4 meses de acompanhamento 218 pacientes morreram, representando 1,75% entre os que receberam tratamento (129 pacientes) e 3,48% entre os que não receberam tratamento (89 pacientes).

Desenvolveram câncer de fígado 2,54% entre os que receberam tratamento (187 pacientes) e 2,78% entre os que não receberam tratamento (71 pacientes).

Desenvolveram cirrose descompensada 1,00% entre os que receberam tratamento (74 pacientes) e 1,25% entre os que não receberam tratamento (32 pacientes).

Após o ajuste para fatores individuais (idade, estadiamento da doença, presença de outras doenças, etc.), os pacientes tratados com antivirais de ação direta mostraram uma redução de 52% no risco de mortalidade e uma redução de 33% no risco de câncer de fígado em comparação com os não tratados com antivirais de ação direta.

MEU CONSELHO:

Se você já tiver do diagnóstico da hepatite C corra para receber tratamento imediatamente, evitando assim o agravamento de seu quadro de saúde. Se conhece alguém com hepatite C compartilhe este texto.

E se ainda não fez o teste da hepatite C, o que está esperando?

Avise a seus familiares e amigos para realizar o teste da hepatite C, é fácil e rápido, encontrado nas unidades de saúde e em todos os planos de saúde. Isso pode salvar uma vida!.

A hepatite C tem tratamento. Melhor ainda, tem cura fácil, rápida e gratuita!

Fonte: Clinical outcomes in patients with chronic hepatitis C after direct-acting antiviral treatment: a prospective cohort study – Prof Fabrice Carrat, PhD, Hélène Fontaine, MD, Céline Dorival, PhD, Mélanie Simony, MS, Alpha Diallo, MD, Prof Christophe Hezode, MD et al. – The Lancet – https://doi.org/10.1016/S0140-6736(18)32111-1      

Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com

IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.

Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.

Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação médica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte: WWW.HEPATO.COM

O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA – ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO

 

Compartilhar