Um estudo de base populacional em infectados pela hepatite B mostra um efeito preventivo do uso diário de aspirina

723

Voltar

Um estudo de base populacional realizado em Taiwan mostra um efeito preventivo do uso diário de aspirina em infectados pela hepatite B.

Embora os agentes antivirais orais sejam eficazes na supressão da infecção pelo vírus da hepatite B e na redução do risco de desenvolver câncer de fígado, ainda há um risco residual de câncer. Além disso, nem todos os pacientes infectados com hepatite B se qualificam para receber tratamento antiviral, e o acesso pode ser um problema.

Para avaliar se uma aspirina diária tem um efeito preventivo para o câncer de fígado relacionado ao vírus da hepatite B, os pesquisadores avaliaram retrospectivamente a incidência de câncer de fígado em mais de 10.000 pacientes infectados pela hepatite B em Taiwan (72% homens).

Mais de 2.100 pacientes que receberam pelo menos 90 dias de terapia com aspirina (duração mediana de 3 anos) foram comparados aleatoriamente em uma proporção de 1: 4 com pacientes que não receberam terapia com aspirina. A dosagem de aspirina foi igual ou menor de 100 mg / dia em 98% dos usuários.

Na análise de regressão multivariada, o uso de aspirina foi significativamente associado com risco reduzido em 70% de câncer de fígado quando comparado com os pacientes que não receberam aspirina, assim como os tratados com antiviral e ou uso de estatinas. O sexo masculino foi um fator de risco significativo maior para desenvolver câncer de fígado, assim como a presença de cirrose.

Relatam os autores do estudo que esses achados se somam às evidências que apoiam o uso de aspirina como uma terapia adjuvante de prevenção para certos tipos de câncer. Alertam que assim como acontece com o uso diário de aspirina para prevenção do câncer colorretal, o uso de aspirina na prevenção do câncer de fígado não pode ser recomendado para todos os pacientes infectados pela hepatite B. No entanto, pode ser encorajado nos pacientes com riscos de doenças concomitantes, para os quais há fortes evidências de benefícios, como doença cardiovascular.

A aspirina deve ser usada com cautela em pacientes com cirrose avançada.

Fonte: Does Aspirin Protect Against Hepatocellular Carcinoma in Patients with Chronic HBV Infection? –  Atif Zaman, MD, MPH reviewing Lee T-Y et al. JAMA Intern Med 2019 Mar 18 Fox RK et al. JAMA Intern Med 2019 Mar 18

Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com

IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.

Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.

Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação médica.
É permitida a utilização das informações contidas nesta mensagem desde que citada a fonte:
WWW.HEPATO.COM

O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA – ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO

Compartilhar